Conespi preocupado com a demora na concessão de benefícios pela Previdência Social

A demora da Previdência Social em fazer as concessões dos benefícios e a mudança do sistema, que obriga o beneficiário a fazer o pedido de aposentadoria pelo 135 ou pelo site do Instituto, está preocupando a direção do Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba (Conespi), entidade que representa cerca de 200 mil trabalhadores da ativa e aposentados. A manifestação foi feita nesta manhã de terça-feira, 01 de outubro, durante reunião ordinária do Conespi, realizada no Clube do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba.

Em função dos problemas relatados pelos dirigentes sindicais, o presidente do Conespi, Wagner da Silveira, o Juca dos Metalúrgicos, estará solicitando uma reunião com a gerência regional da Previdência Social para debater a situação, em função de reclamações de trabalhadores. Com a mudança de governo, de acordo com a diretora do Sindicato dos Bancários, Olívia Brossi, a demora para atendimento aos pedidos de concessão de aposentadoria está passando de sete meses. “Este é um problema nacional, mas temos que cobrar a Previdência e nada melhor do que fazermos isso de forma oficial”, disse.

A demora, conforme informações obtidas pelo presidente do Conespi, também está ocorrendo para os pedidos de concessão dos trabalhadores com mais de 65 anos de idade, que, de acordo com a LOAS (Lei Orgânica de Assistência Social), tem direito garantido ao benefício. “É um direito assegurado em lei, não tem o que se discutir. É fazer a concessão do benefício e pronto”, acrescenta.

A reclamação de trabalhadores também é de que no governo Bolsonaro foi alterada a forma de dar entrada ao pedido de benefício. Antes, o agendamento era pelo 135 ou pelo site da Previdência e, em seguida, era agendada uma data para o beneficiário comparecer a uma agência da Previdência e levar toda documentação. “No entanto, a partir de agora, toda documentação deve ser enviada pelo site, o que dificulta em muito a vida do trabalhador, uma vez que como não tem esta facilidade acaba tendo que procurar auxílio, por exemplo, de um escritório de advocacia, que tem um custo para o trabalhador”, conta o presidente do Conespi.

Justamente para manifestar de forma oficial esta preocupação é que o Conespi solicitará a reunião com a superintendência da Previdência na cidade, assim como para agradecer o resultado do trabalho desenvolvido em Piracicaba, através do Conselho da Previdência, que levou a Previdência Social a mudar as regras para evitar fraude, estabelecendo que as concessões de benefícios fossem bloqueados, sendo liberada apenas pelo segurado. “O Conselho fez diversas moções de apelo à Previdência, nos últimos anos, e as regras foram alteradas, o que evita fraude”, conta Olívia Brossi, que integra o Conselho da Previdência Social, representando o Conespi.

OUTUBRO ROSA – Durante a reunião, o Conespi também aprovou apoio ao Movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, o “Outubro Rosa”, que tem o objetivo compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença, assim como proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade. “Faço questão de apoiar esta campanha, inclusive o nosso sindicato (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Piracicaba – Sinticompi) produziu uma camiseta de divulgação, que tenho orgulho de usar no dia a dia”, diz Milton Costa, presidente da entidade.

COMBATE À DENGUE – O Conespi também estará apoiando a Prefeitura na campanha contra a dengue, combatendo o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e outras doenças. Em Piracicaba, foram notificados 2.100 casos, sendo registradas duas mortes no município neste ano.

Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124