Conespi promove manifestação contra a reforma da Previdência Social

O Conespi (Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba) promove nesta próxima sexta-feira, 22 de março, manifestação contra a reforma da Previdência Social, como forma de mobilizar os trabalhadores e a sociedade contra mais este ataque aos direitos dos trabalhadores. O manifesto terá concentração no Largo do Mercado Municipal, a partir das 9 horas, irá percorrer a rua Governador Pedro de Toledo e seguir pela rua XV de Novembro, até a frente da agência da Previdência Social, onde será realizado ato público.

O presidente do Conespi, Wagner da Silveira, o Juca dos Metalúrgicos, conta que a diretoria executiva da entidade decidiu, de forma extraordinária, em reunião virtual realizada nesta semana, realizar a manifestação já, para deixar claro que o movimento sindical de Piracicaba não concorda com a reforma da Previdência, que ataca direitos dos trabalhadores. “Vamos sair às ruas, dizer não à reforma da Previdência, que pela proposta do governo fará com que o homem se aposente somente aos 65 anos de idade e as mulheres aos 62 anos, isso após 40 anos de contribuição”, destaca.

Para Juca, somente a mobilização dos trabalhadores poderá evitar a aprovação da proposta apresentada pelo presidente Jair Bolsonaro. Ele adverte que esta proposta que foi levada ao Congresso Nacional pelo presidente Jair Bolsonaro é mais agressiva do que a apresentada pelo ex-presidente Michel Temer. “Na época, saímos às ruas, utilizamos a Câmara de Vereadores e ajudamos a engrossar o movimento que aconteceu em diversas partes do País, contribuindo para evitar que a reforma da Previdência fosse aprovada e, mais uma vez, vamos utilizar todos os instrumentos possíveis para tentar barrar mais esta investida do governo contra os trabalhadores”, ressalta.

A proposta de capitalização da Previdência, uma espécie de poupança que os trabalhadores serão obrigados a fazer, se a reforma for aprovada, também é criticada pelo líder sindical. “Por este modelo, o trabalhador terá de abrir uma conta individual para depositar um percentual do salário todos os meses para bancar seus benefícios no futuro. Adotado no Chile durante a ditadura militar, a capitalização da Previdência levou aposentados à miséria”, adverte, conclamando os trabalhadores a se unirem nesta luta que é de todos os brasileiros.

Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124