Piracicabanos engrossam 7ª Marcha a Brasília em busca de melhorias para os trabalhadores

A 7ª Marcha a Brasília, que acontece nesta quarta-feira, dia 6 de março, na capital federal, será engrossada por trabalhadores de Piracicaba de diversos setores, como de alimentação, comerciários, papeleiros, construção civil, metalúrgicos, têxteis, associação dos aposentados, entre outros. De Piracicaba e região, mais de 300 trabalhadores, liderados pela Central Força Sindical Regional, partiram nessa tarde de terça-feira, 5 de março, com destino a Brasília, onde se juntaram a manifestantes de toda parte do País que estão indo para o manifesto, que já faz parte do calendário de luta das centrais sindicais Força Sindical, Nova Central, UGT, CGTB, CTB e CUT.

Carregando faixas e cartazes, o grupo de trabalhadores partiu da avenida Armando de Salles Oliveira, entre o Terminal Central de Ônibus e a Rodoviária Intermunicipal. Este grupo é liderado pela Força Sindical Regional, que de acordo com seu coordenador, Fânio Luis Gomes, reúne também trabalhadores das cidades de Capivari, Limeira, Americana e Santa Bárbara d`Oeste.

Neste ano, a Marcha a Brasília tem como tema o Desenvolvimento, Cidadania e Valorização do Trabalho e é considerada uma forma dos movimentos sociais sensibilizarem a presidente Dilma Rousseff e o próprio Congresso Nacional para as principais bandeiras de luta dos trabalhadores.

Entre os temas que fazem parte da Macha deste ano estão a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem redução de salário; fim do fator previdenciário; igualdade e oportunidade entre homens e mulheres; política de valorização dos aposentados; 10% do PIB para a Educação; 10% do Orçamento da União para a Saúde; correção da tabela do Imposto de Renda; ratificação da Convenção OIT/158; regulamentação da Convenção da OIT/151 e ampliação do investimento público.

Fânio, que também é presidente do Conespi (Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba), destaca que o fim do fator previdenciário é uma das bandeiras de luta do movimento sindical, onde há mais de 10 anos milhões de brasileiros são prejudicados ao se aposentarem, que sofrem com uma perda de 40% do salário. “Nossa expectativa é de que esse fator caia o mais breve possível. Uma das missões desta Marcha é de justamente pressionar o Congresso Nacional e o governo federal”, completa.

Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124